segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Felicidade barata

Eu não sou um falso feliz, não preciso dizer o dia todo que estou feliz pela internet, isso é um sentimento meu, passo muito tempo triste, deprimido, sofro muito também, falo a verdade, não preciso narrar minha vida aqui, se estou indo a academia, como está minha vida financeira ou amorosa, se estou indo ao banheiro, almoçar, sair... Sou chato sim, não gostou, exclua-me ou nem convide-me para ser seu amigo! Não gosto que tenha ciume como se fosse minha namorada, sou livre. Não suporto que fiquem no meu pé: "Por que não fala mais comigo, nem me disse bom dia hoje, oi né..." Por que não falou comigo hoje?" Isso é irritante demais, eu falo com quem posso e quando posso. Não sou conectado 24 horas na internet, eu durmo, eu faço comida, eu como, tomo banho, faço muitas outras coisas além de passar o dia olhando numa tela do note ou celular. Não devo satisfação a ninguém.

Um comentário:

Vivian disse...

Nos acostumamos ao mundo virtual, onde tudo é lindo e colorido e perfeito. Óbvio,cômodo. Perder esta segurança colorida e encarar a realidade, com responsabilidades nos tira da zona de conforto. É isto que a globalização faz e infelizmente, compartilhar tudo freneticamente.
Tornamo-nos frios em relacionamentos face-to-face, mas MUITO amáveis virtualmente falando. Próprio da nossa era, já se foi os relacionamentos de mãos dadas no parque, agora é > Te amo, postado às 12:45 via celular.
Nada contra aos relacionamentos descartáveis do mundo virtual.
Estou ficando velha e me agrada mais pessoas reais, com problemas e dores.