sábado, 28 de maio de 2011

Sinto

O que não ME faz mover um músculo, o que não ME faz estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da MINHA biografia. Meu mundo se resume ao encontro do que é terra e fogo dentro de mim, onde não me enxergo, mais me sinto!

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Cantada

Uma mulher que não perdoa uma cantada de um homem jamais terá um grande Amor. RR

terça-feira, 17 de maio de 2011

Vida interessante

Nasce, durante a infância sem saber de nada só brinca, na adolescência fica rebelde ridículo querendo ser o q n existe, quando adulto trabalha desesperadamente em busca de muito $, aos 60 anos já fodido começa esperar a morte. Vida estranha pra caralho e no final morre com câncer se chegar aos 70 anos.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

The Scientist


O Cientista

Vim te encontrar, te dizer que eu sinto muito
Você não sabe quão adorável você é
Eu tive que encontrar você, te dizer que eu preciso de você
E te dizer que eu te deixei de lado
Me conte seus segredos e me pergunte suas dúvidas
Oh vamos voltar para o começo


Correndo em círculos, atrás de nossos rabos
Cabeças em uma ciência distante


Ninguém disse que era fácil
Oh é mesmo uma pena nós nos separarmos
Ninguém disse que era fácil
Ninguém nunca disse que seria tão difícil
Oh leve-me de volta ao começo


Eu há pouco estava adivinhando números e dígitos
Solucionando os quebra-cabeças
Questões de ciência ciência e progresso
Não falam tão alto quanto meu coração
Diga-me que me ama, volte e me assombre
Oh e eu corro para o começo


Correndo em círculos, perseguindo nossos rabos
Voltando para o que nós somos


Ninguém disse que era fácil
Oh é mesmo uma pena nós nos separarmos
Ninguém disse que era fácil
Ninguém nunca disse que seria tão difícil
Eu estou voltando para o começo


Fabrica

http://www.youtube.com/watch?v=bLxR6YJke8s

Nosso dia vai chegar,
Teremos nossa vez.
Não é pedir demais:
Quero justiça,
Quero trabalhar em paz.
Não é muito o que lhe peço -
Eu quero um trabalho honesto
Em vez de escravidão.

Deve haver algum lugar
Onde o mais forte
Não consegue escravizar
Quem não tem chance.

De onde vem a indiferença
Temperada a ferro e fogo?
Quem guarda os portões da fábrica?

O céu já foi azul, mas agora é cinza
O que era verde aqui já não existe mais.
Quem me dera acreditar
Que não acontece nada de tanto brincar com fogo,
Que venha o fogo então.

Esse ar deixou minha vista cansada,
Nada demais.

domingo, 15 de maio de 2011

Amor x Dinheiro

røbєrŧo rυιz diz (20:41)
eu comecei o tratamento faz pouco tempo


røbєrŧo rυιz diz (20:42)
tá bom
vou te deixar
n queria te fazer mal por q estou doente.


 .................. diz (20:43)
faz o que achar melhor
ROBERTO, PRECISO DE DINHEEEEEOIROOOOOOO


røbєrŧo rυιz diz (20:43)
nossa


................. diz (20:43)
quero alguem q me ajude financeiramente
quero alguem p me sustentar
porra


røbєrŧo rυιz diz (20:43)
eu n tenho dinheiro sinto muito


..................diz (20:43)
nao tenho como comprar papel higienico
pois eh, Roberto


røbєrŧo rυιz diz (20:44)
vc vai ter que procurar um cara com grana


..................diz (20:44)
eu preciso estar bem


røbєrŧo rυιz diz (20:45)
não tenho como ganhar 10 mil por mês e doente

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Momento

Uma menina pergunta à mãe: 
- Mãe, posso ir ao hospital ver meu namorado? 
Ele está muito doente! 
- Claro, mas o que ele tem? 
Ela diz com a cabeça baixa, diz: 
- Câncer, tá muito doente. 
A mãe, furiosa, diz: 
E você quer ir lá para que? Vê-lo morrer? 
A menina lhe dá as costas e vai... 
Horas depois ela volta vermelha de tanto chorar, dizendo: 
- Ai mãe, foi tão horrível, ele morreu na minha frente! 
A mãe, com raiva: 
- E agora?! Tá feliz?! Valeu a pena ter visto aquela cena?! 
Uma última lágrima cai de seus olhos acompanhada de um sorriso e ela diz: 
- Muito, pois cheguei a tempo de vê-lo sorrir e dizer: 
- ANJO EU TINHA CERTEZA QUE VOCÊ VINHA TE AMAREI PARA SEMPRE!!!

sábado, 7 de maio de 2011

Mãe

Filho, você terá sempre me dado muito mais do que esperei ou mereci ou imaginei ter” "Que nossa vida, meus filhos, tecida de encontros e desencontros, como a de todo mundo, tenha por baixo um rio de águas generosas, um entendimento acima das palavras e um afeto além dos gestos – algo que só pode nascer entre nós. Que quando eu me aproxime, meu filho, você não se encolha nem um milímetro com medo de voltar a ser menino, você que já é um homem. Que quando eu a olhe, meu filho, você não se sinta criticada ou avaliada, mas simplesmente adorada, como desde o primeiro instante. Que, quando se lembrarem de sua infância, não recordem os dias difíceis (vocês nem sabiam), o trabalho cansativo, a saúde não tão boa, o casamento numa pequena ou grande crise, os nervos à flor da pele – aqueles dias em que, até hoje arrependida, dei um tapa que ainda agora dói em mim, ou disse uma palavra injusta. Lembrem-se dos deliciosos momentos em família, das risadas, das histórias na hora de dormir, do bolo que embatumou, mas que vocês, pequenos, comeram dizendo que estava maravilhoso. Que pensando em sua adolescência não recordem minhas distrações, minhas imperfeições e impropriedades, mas as caminhadas pela praia, o sorvete na esquina, a lição de casa na mesa de jantar, a sensação de aconchego, sentados na sala cada um com sua ocupação. Que quando precisarem de mim, meus filhos, vocês nunca hesitem em chamar: mãe! Seja para prender um botão de camisa, ficar com uma criança, segurar a mão, tentar fazer baixar a febre, socorrer com qualquer tipo de recurso, ou apenas escutar alguma queixa ou preocupação. Não é preciso constrangerem-se de ser filhos querendo mãe, só porque vocês também já estão grisalhos, ou com filhos crescidos, com suas alegrias e dores, como eu tenho e tive as minhas. Que, independendo da hora e do lugar, a gente se sinta bem pensando no outro. Que essa consciência faça expandir-se a vida e o coração, na certeza de que aquela pessoa, seja onde for, vai saber entender; o que não entender vai absorver; e o que não absorver vai enfeitar e tornar bom. Que quando nos afastarmos isso seja sem dilaceramento, ainda que com passageira tristeza, porque todos devem seguir seu caminho, mesmo que isso signifique alguma distância: e que todo reencontro seja de grandes abraços e boas risadas. Esse é um tipo de amor que independe de presença e tempo. Que quando estivermos juntos vocês encarem com algum bom humor e muita naturalidade se houver raízes grisalhas no meu cabelo, se eu começar a repetir histórias, e se tantas vezes só de olhar para vocês meus olhos se encherem de lágrimas: serão apenas de alegria porque vocês estão aí. Que quando pareço mais cansada vocês não tenham receio de que eu precise de mais ajuda do que vocês podem me dar: provavelmente não precisarei de mais apoio do que do seu carinho, da sua atenção natural e jamais forçada. E, se precisar de mais que isso, não se culpem se por vezes for difícil, ou trabalhoso ou tedioso, se lhes causar susto ou dor: as coisas são assim. Que, se um dia eu começar a me confundir, esse eventual efeito de um longo tempo de vida não os assuste: tentem entrar no meu novo mundo, sem drama nem culpa, mesmo quando se impacientarem. Toda a transformação do nascimento à morte é um dom da natureza, e uma forma de crescimento. Que em qualquer momento, meus filhos, sendo eu qualquer mãe, de qualquer raça, credo, idade ou instrução, vocês possam perceber em mim, ainda que numa cintilação breve, a inapagável sensação de quando vocês foram colocados pela primeira vez nos meus braços: misto de susto, plenitude e ternura, maior e mais importante do que todas as glórias da arte e da ciência, mais sério do que as tentativas dos filósofos de explicar os enigmas da existência. A sensação que vinha do seu cheiro, da sua pele, de seu rostinho, e da consciência de que ali havia, a partir de mim e desse amor, uma nova pessoa, com seu destino e sua vida, nesta bela e complicada terra. E assim sendo, meu filho, você terá sempre me dado muito mais do que esperei ou mereci ou imaginei ter. Amo meus filhos (por enquanto um)
A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo. Várias vezes ouvi de um amigo psicanalista essa frase e ela sempre me soou estranha. Até agora. Agora que meu filho adolescente, aos quase 18 anos, começa a dar vôos-solo. Chegou a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa, protegida de todos os erros, tristezas e perigos. Uma batalha hercúlea, confesso. Quando começo a esmorecer na luta para controlar a super-mãe que todas temos dentro de nós, lembro logo da frase, hoje absolutamente clara. Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária. Antes que alguma mãe apressada venha me acusar de desamor, preciso explicar o que significa isso. Ser 'desnecessária' é não deixar que o amor incondicional de mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos, como uma droga, a ponto de eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes. Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também. A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical. A cada nova fase, uma nova perda é um novo ganho, para os dois lados, mãe e filho. Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não pára de se transformar ao longo da vida.Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família recomeçam o ciclo. O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado,o conforto nas horas difíceis. Pai e mãe - solidários - criam filhos para serem livres. Esse é o maior desafio e a principal missão. Ao aprendermos a ser 'desnecessários', nos transformamos em porto seguro para quando eles decidirem atracar.

Roberto Ruiz (praticamente uma mãe) rs

Eu aprendi

Eu aprendi que você pode fazer algo em um momento que dará aflição para toda a vida... Eu aprendi que não importa como você fatia algo, se fino ou grosso, sempre há dois lados... Eu aprendi que você pode continuar indo muito tempo depois que você pense que não pode... Eu aprendi que você não pode fazer alguém amar você. Tudo que você pode fazer é alguém ser amado por você... Eu aprendi que não importa quanto eu me preocupe, algumas pessoas não pensam da mesma maneira. Eu aprendi que você não deveria se comparar em ser melhor que os outros, mas sim fazer melhor por você. Eu aprendi que você não deveria estar tão ansioso em descobrir um segredo. Pode ser que ele mude sua vida para sempre... Eu aprendi que você deveria dizer sempre palavras amorosas a quem você ama. Pode ser a última vez que você os vê. Eu aprendi que você controla sua atitude ou ela controla você... Eu aprendi que os heróis são as pessoas que fazem o que tem que ser feito, quando tem de ser feito, independente das conseqüências. Eu aprendi que só porque alguém não ama do modo que você quer, não significa que não o ama com a mesma intensidade que você... Eu aprendi que sua família pode não estar sempre à sua disposição, mas as pessoas com as que você não é relacionado, pode cuidá-lo e lhe ensinar a confiar em pessoas novamente. Famílias não são biológicas. Eu aprendi que ocupa anos para construir confiança, e só segundos para destruí-la. Eu aprendi que nós somos responsáveis pelo que nós fazemos, não importa como fazemos. Eu aprendi que não importa o quanto ruim seu coração possa estar, o mundo não pára por seu pesar... Eu aprendi que não devemos mudar um amigo, e sim aceitá-lo como ele é. Eu aprendi que não importa o quanto bom um amigo seja, ele pode te ferir de vez em quando e você tem que perdoá-lo por isso. Eu aprendi que não é o que acontece às pessoas que é importante. É o que elas fazem sobre isso. Eu aprendi que meu melhor amigo e eu podemos fazer qualquer coisa ou nada e nos divertirmos da mesma forma. Eu aprendi que existem pessoas que o amam afetuosamente, mas que existem também as que não sabem demonstrar isso. Eu aprendi que embora a palavra amor possa ter muitos significados, perde valor quando demais usado. Eu aprendi que é muito mais fácil reagir do que pensar. Eu aprendi que é difícil determinar a linha entre ser agradável e não ferir as pessoas... Eu aprendi que duas pessoas podem olhar exatamente a mesma coisa e podem ver algo totalmente diferente. Eu aprendi que, às vezes, tenho o direito de ficar bravo, mas isso não me dá o direito de ser cruel. Eu aprendi que as pessoas que você se preocupa, a maioria das vezes, são levadas de você muito cedo... Eu aprendi que aquele verdadeiro Amor continua crescendo, até mesmo em cima da mais longa distância... " Eu estou aprendendo te amar.