terça-feira, 22 de junho de 2010

Pobrezinho

Toda vez que fico sentindo pena de mim mesmo, digo "pobrezinho" estou tendo a vida com que sempre sonhei.
Estive longe por muito tempo? Sim, sem dúvida. Não vou ficar sumido por tanto tempo outra vez, daqui pra frente vou ser muito cuidadoso com os meus sumiços e fazer direito.
Tive medo de morrer em vários momentos, mas sempre fui empurrado para a vida. Me ensinaram assim ter essa postura positiva, a virar a página e continuar caminhando sem motivo algum. Isso será perfeito quando eu souber do diagnóstico.
E ainda levo um sonho não realizado que é o de montar um Centro Cultural com cursos de interpretação que jamais eu fiz, para que eu consiga transmitir um pouco do que aprendi na televisão, a vida que aprendi, idiotas que eu conheci, as perdas que eu carreguei, conhecimentos depois da meia noite nas ruas, nos bares bebendo e escrevendo por aí. Pobrezinho de mim.

Um comentário:

Ana Raquel Cruz disse...

Quem disse que ninguém lê? Pois lerei-o!
Pobrezinho de quem não abre caminhos para pessoas que têm sede de expor aquilo que aprende e sente e mudar parte de.
Pobres.