quarta-feira, 2 de junho de 2010

Cálice Amargo

Eu provo o sumo da alma e continua amargo. Parece não ter fim. Doce é a amargura da distancia que me entrega a loucura de não querer viver mais.
Doce seria minha presença amarga que te faria chorar. Doce amargura.
Um olhar, um toque, uma beijo... Mas nem seu cheiro eu pude sentir. O amargo da solidão é feito do doce da paixão. O valor acabou... O doce amargo do Amor...

Nenhum comentário: