terça-feira, 1 de junho de 2010

Albert Einsten

Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela.
A leitura após certa idade distrai excessivamente o espírito humano das suas reflexões criadoras. Todo o homem que lê de mais e usa o cérebro de menos adquire a preguiça de pensar.
Não há ninguém, mesmo sem cultura, que não se torne poeta quando o Amor toma conta dele.

Um comentário:

...Drika Almeida disse...

Mto bom!
Sempre visito seu blog!
beijooo
;*****